O ENVIADO DO PAPA PROMOVE MEDJUGORJE

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma entrevista concedida pelo Arcebispo de Varsóvia, monsenhor Henryk Hoser para a agência de notícias polonesa KAI reacende os refletores sobre Medjugorje. O enviado do Papa exprime um julgamento substancialmente positivo sobre tudo o que está acontecendo na Bósnia-Herzegovina. Muitos interpretaram as suas palavras como um reconhecimento das aparições marianas. Em realidade, o arcebispo se limitou a dizer que até mesmo os mais céticos admitiram a sobrenaturalidade das primeiras aparições; de outra parte pensa que a decisão da Congregação para a Doutrina da Fé pode chegar ainda neste ano e será favorável ao culto mariano.

Mas uma única coisa o prelado polonês foi muito claro: a decisão será positiva do ponto de vista pastoral. E no fundo era este o trabalho que lhe confiou o Papa Francisco: verificar o que é mais oportuno fazer diante de um fenômeno que é planetário. Os aspectos pastorais, segundo monsenhor Hoser, são os mais importantes.

Em resumo, o arcebispo pesa que não se pode parar o fluxo de mais de 2 milhões e meio de peregrinos todos os anos, que a Igreja não pode ignorar uma devoção tão importante que levou a tantas conversões. De resto, afirma Hoser, não é importante se a Virgem apareceu efetivamente ou não. Existem tantos santuários onde está viva a veneração mariana sem que tenham existido aparições. Monsenhor Hoser registrou uma série de aspectos positivos do ponto de vista pastoral: culto eucarístico, adoração contínua, vida sacramental, longas filas nos confessionários… por isto se a pergunta for: podemos organizar peregrinações com sacerdotes a Medjugorje ? A resposta é, sem dúvida, SIM.

Aparições regulares

E para os que contestam o fato das aparições se repetirem, quase uma “relojoaria”, o enviado Papal responde que também Santa Faustina Kowalska falava todos os dias com Jesus por diversos anos e portanto isto não seria um obstáculo ao reconhecimento de um fenômeno sobrenatural.

As oposições da diocese

Portanto o julgamento de monsenhor Hoser foi seguramente positivo. Exatamente o contrário do que pensa mosenhor Ratko Perić, bispo de Mostar, diocese da qual depende Medjugorje, que em fevereiro passado publicou no site da diocese rebatendo que “a posição desta diocese por todo o período é clara e resoluta: não se trata de verdadeiras aparições da Bem-Aventurada Virgem Maria”.

O parecer do Papa

A última palavra sem dúvida é do Sumo Pontífice: que na conferência de imprensa no vôo de retorno de Fátima se exprimiu com estas palavras: “eu pessoalmente prefiro Nossa Senhora Mãe, e não a chefe de um escritório de correios e telégrafos que todos os dias envia uma mensagem em uma hora determinada: esta não é a mamãe de Jesus. Existe também o aspecto pastoral, pessoas que vão ali e se convertem, encontram Deus e mudam de vida… este fato espiritual e pastoral não se pode negar”.

É nos aspectos pastorais que se concentram agora as atenções da Igreja, também é compreensível a curiosidade da mídia e dos numerosos fiéis que receberam tantos benefícios espirituais de saber se em Medjugorje realmente acontece algo extraordinário. O Papa tinha recordado o êxito da Comissão presidida pelo Cardeal Ruini que tinha expresso um julgamento favorável sobre as aparições da primeira semana enquanto tinha manifestado dúvidas sobre as seguintes. Francisco tinha assegurado que depois da ida de monsenhor Hoser, ele “diria algumas palavras”. Agora todos aguardam o seu pronunciamento.

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino – fundador do Portal Medjugorje Brasil – www.medjugorjebrasil.com.br

Matéria original: http://www.interris.it/2017/08/22/126098/posizione-in-primo-piano/schiaffog/linviato-del-papa-promuove-medjugorje.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *