A incrivel cura do corredor Mauro Braganti em Medjugorje Abr11

Tags

Related Posts

Share This

A incrivel cura do corredor Mauro Braganti em Medjugorje

“Eis o meu milagre, voltei a correr. Assim Nossa Senhora de Medjugorje me pegou pela mão”. Mauro Braganti e a visita até Nossa Senhora de Medjugorje quando tudo parecia impossível.

maurobraganti1

A história de Mauro Braganti é uma história de força de vontade e de sacrifício, de amor ao esporte. E de fé. Mas não é somente isso. É a história de uma experiência de vida, de uma visita, de uma peregrinação, que mudou a sua vida. No seu espírito e no coração. Porque Mauro, 41 anos, da cidade de Lama, corredor quase de profissão (com um passado também de jogador de futebol), no seu livro que apresentará na próxima segunda-feira (13 de abril de 2015).

Mauro escreve em seu livro: “Assim Nossa Senhora de Medjugorje me pegou pela mão”. Atleta do Olimpic Runner Lama, correu dezenas de provas em todas as partes da Itália.

A partir de 2011, todavia, um grave problema físico começou a prejudicá-lo. Até quando os médicos, após consultas, tratamentos e delicadas intervenções cirúrgicas, o pararam: “Basta com a atividade esportiva, deste modo você não pode continuar”. Ele, todavia, não se resignou. Lutou, sofreu com as dores nas pernas, até quando, por duas vezes, foi a Medjugorje.

“OBRIGADO POR TER ME CHAMADO” é o nome do livro. O autor é o próprio Braganti, o qual desejou contar o que sofreu em sua própria pele, em um arco temporal de mil dias.

Uma autobiografia extraordinária, de conteúdo forte e singular, na qual Mario passa do sofrimento e da dor até a felicidade e a paz restaurada, graças “a uma chamada de Nossa Senhora de Medjugorje” como ele prefere chamá-La. Tantos são os acontecimentos e fatos inexplicáveis, que se encontram dentro de uma trama quase perfeita; uma história incrível, com um final também surpreendente.

Há alguns meses, de fato, após a sua última visita a Medjugorje, Mauro voltou a correr. Nenhum problema físico, nenhuma dor o para mais. E em fevereiro passado (2015) todavia retornou à vitória, em uma competição em Poppi, na região de Arentino.

“Foi uma emoção belíssima – afirmou Mauro – em geral fico entre os primeiros da minha categoria; mas na ocasião, todavia, consegui chegar na frente de todos. Não conseguia acreditar… Estou convencido de que alguém me pegou pela mão”.

História original: http://www.lanazione.it/umbria/castello-miracolo-atleta-1.836104