Durante a aparição anual de Nossa Senhora para Mirjana tive uma conversão de coração

Compartilhe!

Tempo de leitura: 5 minutos

Matéria original: https://www.medjugorjetuttiigiorni.com/2019/10/nel-momento-in-cui-la-madonna-ando-via.html?spref=fb&fbclid=IwAR12h6PVT3kAbvuZ8AXk-zxV8HZMw-j_p9RkJdv0vwpqqRjXD_UYoQecLrU

Cresci em uma família crente, mas "não muito", no sentido de que minha mãe participava da Santa Missa, mas não tinha uma fé profunda.
Aos 25 anos conheci um rapaz, apaixonei-me por ele. Compramos uma casa juntos, mas terminamos rápido e mal. A partir desse momento começou para mim um período de grande sofrimento ao entrar na espiral da depressão. Ainda me lembro do mês e do ano: janeiro de 2011. Passei de momentos de paz para momentos em que não conseguia nem sair da cama.
Eu estava tendo ataques de pânico e comecei a mentir para minha mãe para sair. Bebi muito, muito. Uma noite, bêbado, desmaiei. Eles me levaram para o hospital onde me diagnosticaram com depressão. Muitas vezes tentei o suicídio cortando minhas veias, das quais ainda carrego as cicatrizes, mas sempre fui salvo. Na enésima tentativa de suicídio, meus pais decidiram me internar em uma ala psiquiátrica, onde fiquei por cerca de 10 dias.
Fui diagnosticada não só com depressão, mas também com esquizofrenia. Eles começaram uma terapia de drogas psiquiátricas que eram de pouca utilidade. Senti um forte desejo de me matar, mas naquelas enfermarias era impossível fazê-lo devido à falta de ferramentas adequadas. Comecei então a bater com a cabeça no vidro da janela e nesse momento os médicos foram obrigados a amarrar minhas mãos e pés na cama. A vontade de me machucar era muito forte e aí eu comecei a morder a língua, tentei arrancar a língua e lembro que colocaram tapa na minha boca para não continuar me machucando. De volta para casa, tive que tomar os medicamentos psiquiátricos prescritos, mas em vez de água, tomei-os com álcool.
Vários meses se passaram e minha mãe estava cada vez mais desesperada. Um dia um amigo de infância dele o aconselhou a ir para Medjugorje. Ele lhe disse que Nossa Senhora apareceu lá e ele poderia pedir a graça para sua filha. Ele gostaria de me trazer também, mas eu não estava em condições físicas adequadas. Dormi bem, entorpecido pelas drogas, então à noite saí com uma desculpa e bebi. Álcool e drogas foram um grande golpe.
Em Medjugorje minha mãe converteu seu coração e pede a Nossa Senhora que me deixe renascer para uma nova vida. Ao regressar, fala, sempre por intermédio do amigo, a um leigo que lhe abre os olhos ao mundo do maligno.
Enquanto isso, eu continuo piorando, não só eu quebro as coisas e grito, mas muitas vezes desmaio e reviro os olhos para trás. Esse novo fato preocupa muito minha mãe que resolve conversar com os médicos para entender se poderia ser um efeito colateral devido aos psicofármacos. A resposta negativa deles abre um novo mundo para minha mãe, o mundo do maligno. Através da depressão, ele conseguiu entrar para me perturbar.
As orações de libertação me ajudaram muito e um dia eu parei de tomar remédios psiquiátricos contra o conselho dos médicos.
Eu estava muito melhor, mas conhecer um menino me arrastou de volta ao abismo das drogas e do álcool. Sim, porque meu namorado se embebedou e usou drogas devido à separação de seus pais ocorrida anos antes. Em 2013 engravidei e, após o desconforto inicial, aceitei esse bebê como um grande presente de Deus, parei imediatamente de beber e usar drogas. Meu namorado, por outro lado, sempre voltava para casa bêbado e drogado, mas eu não o abandonava porque sentia que o Senhor o havia colocado na minha frente para ajudá-lo.
Em 2015 nos casamos na igreja. Meu marido também parou de usar drogas e beber e logo o Senhor me deu de presente mais um filho. Uma gravidez difícil e um diagnóstico terrível: os exames o consideraram malformado, mas, eu disse ao meu marido, que o manteria do jeito que nascesse. A criança nasceu saudável. Nessa altura comecei a rezar mais e a ir à missa.
Em janeiro de 2019 senti o forte desejo de ir a Medjugorje para conhecer o amor de Jesus e Maria e me tornar uma católica fervorosa. Saí com o Exército de Maria e durante a aparição anual de Mirjana tive uma conversão de coração. O que eu senti é difícil de explicar. Não vi nada em particular, mas quando a Madona foi embora, eu estava de joelhos, senti um peso que me oprimiu e me esmagou no chão. Eu não conseguia me levantar, eu estava como acorrentado.
As pessoas estavam começando a sair, mas eu não conseguia me mexer até que minha irmã veio me chamar. A partir do dia seguinte comecei a fazer tudo o que Nossa Senhora pediu: Missa, confissão, terço, jejum, obras de caridade. Consegui perdoar e abordar as pessoas que me magoaram. Tudo aconteceu espontaneamente. O amor de Nossa Senhora que me segue constantemente consegue dar-me uma calma e uma paz que não consigo explicar.
Meu marido ainda não acredita em Deus e, como resultado, não está em paz. Por outro lado, com a ajuda de Maria, agora posso ser uma boa esposa e uma boa mãe e superar muitos obstáculos que a vida sempre nos coloca.

Se desejar estar conosco na aparição anual de Nossa Senhora para a vidente Mirjana em março 2023 CLIQUE AQUI

Se desejar produtos de Medjugorje CLIQUE AQUI

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.