Eu fotografei Nossa Senhora em Medjugorje

Compartilhe!

Tempo de leitura: 3 minutos

Eu fotografei Nossa Senhora em Medjugorje

Traduzido do italiano por Gabriel Paulino

Fonte: Jornal italiano I GIONRNALI, 27 de setembro de 2009

Link da matéria: http://www.ilgiornale.it/interni/ideava_spot_frank_sinatra_ma_poi_ho_fotografato_la_madonna_medjugorje/27-09-2009/articolo-id=385951-page=0-comments=1

Em 1 de maio de 1987 um cético Gianni Romolotti, publicitário de Milão, quebrado por suas experiências, chegou ao ponto de declarar-se “agnóstico e covarde”, se encontrava pela primeira vez em Medjugorje em companhia de sua mulher Mariana, ainda mais incrédula do que ele. Próximo a eles estava Grazia Viola, uma amiga que no dia anterior e os forçou a embarcar em um vôo fretado a Split, nos dois últimos dois lugares disponíveis com a promessa de fazê-los passar um final de semana fora da rotina. Era cerca de 18:40. A hora na qual desde 24 de junho de 1981, Nossa Senhora começou a aparecer na vila da Bósnia-Herzegovina a seis jovens que tinham entre cerca de 10 e 16 anos. “Graças a minha amiga Viola se demonstrou a palavra. Vi coisas extraordinárias. Olhava o sol a olho nu, algo normalmente impossível de fazê-lo. Éramos cerca de cem pessoas viam a mesma coisa. O sol rodava, dançava, pulsava, assumindo várias cores, primeira azul, depois vermelha, em seguida levantou-se, e finalmente se precipitou em direção a mim, tanto que instintivamente tivemos que proteger o rosto com as mãos. Na prática foi a mesma coisa que foi observada na cova da iria em 13 de outubro de 1917 a milhares de pessoas reunidas em torno dos três pastorinhos de Fátima, incluindo Avelino de Almeida, redator-chefe do jornal O SÉCULO, que colocou a notícia na primeira página. Foi a única vez na qual não me senti preso ao tempo e ao espaço. Disse a mim mesmo:”Gianni, a sua casa é aqui.” Minha mulher balbuciou: “Me parece o Apocalipse.”

No dia seguinte a mesma hora, Gianni Romolotti tem a idéia de registrar fotograficamente o surpreendente fenômeno com a sua câmera Olympus: “uma tentativa infantil” admite agora Gianni “talvez devido a sua formação profissional: as fotos tem sido a minha vida.”

Mas o que aconteceu no quarto escuro, durante a revelação das fotos, de volta a Itália, o deixou sem fôlego: “um enquadramento nem vertical nem horizontal, enquanto eu me recordo perfeitamente de ter apontado a objetiva da câmera perpendicular ao terreno, em direção da Igreja. Ao lado das duas torres da Igreja, uma nuvem formava a silhueta de uma mulher. Pelo véu e pelo manto se diz que é a Virgem. Meu eu tenho certeza que naquele dia o céu estava claro, nem mesmo uma nuvem.” Desde então, Gianni Romolotti mantém o negativo da foto em uma caixa-forte e se declara “um fulminado”. Está convencido que a Rainha da Paz de Medjugorje o curou de um melanoma (câncer) no rosto. Agora sua vida mudou. Gianni escreve aos bispos para convencê-los da veracidade das aparições. Um deles, dom Luigi Negri, hoje enérgico bispo de San Marino, foi convencido a ir a Medjugorje por Gianni. Antes o bispo dizia: “maluquice! Os padres devem tirar férias nas montanhas e não próximo ao mar!” Depois de algum tempo o bispo o encontrou novamente e disse: “Sabes, Gianni, eu fui até Medjugorje. È surpreendente!”. O bispo confessou de ter falado com Bento XVI e ao final da conversa disse: “Santo Padre, se, como dizem em Medjugorje está satanás, bem, lhe asseguro que ele está trabalhando a nosso favor!”

Adquira um terço de Medjugorje abençoado por Nossa Senhora em sua aparição em Medjugorje e receba GRATUITAMENTE um dos lenços passados na estátua do Cristo Ressuscitado CLIQUE AQUI

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *