Pedi uma parte do Espírito de frei Slavko e tornei-me sacerdote na Alemanha !!!

Compartilhe!

Tempo de leitura: 5 minutos

O MÉDICO QUE AJUDOU O PADRE SLAVKO TORNOU-SE PADRE …
(Testemunho no festival da juventude)
Sou um pároco e padre alemão, com uma longa história de aproximação com Deus, como muitos de vocês, também busquei o sentido da vida e fui para a esquerda e para a direita.
Um dia eu estava muito doente e Deus me recompensou porque pude me deixar experimentar seu imenso amor. Então comecei a procurar esse Deus.
Também estive na seita do reverndo Moon e entre as Testemunhas de Jeová: nem pensei que Deus pudesse estar na igreja.
Uma manhã acordei [dizendo a mim mesma]: “sim, agora eu sei a que lugar sou”, mas não sabia o porquê disso. Fui até a janela porque moro em Innsbruck, no centro daquela cidade. As ruas estavam cheias de gente, mas eu não sabia por quê.
Desci e perguntei: “Por que você está aqui?”. E me disseram: “O Papa João Paulo II está chegando e passa por aqui”. Então ele teve que passar bem na frente da minha janela, bem na minha frente. Depois disse: “Enquanto ele estiver aqui, irei à sua missa, para poder dizer que o Santo Padre veio à minha casa para me chamar”.
Uma luta espiritual começou durante esta Santa Missa. O ponto principal era se Jesus está realmente presente na Eucaristia ou se é apenas pão.
Eu tinha decidido naquele momento: “sim, é Jesus!”.
Desde então, sempre senti alegria aos domingos. Depois disso, precisei encontrar o caminho para me levar à Mãe de Deus.
Um amigo me deu um livro da consagração à Virgem Maria e me disse: “um dia você vai rezar esta oração”. Então, um ano e meio ou dois anos depois, cheguei ao ponto de orar esta oração, sem conhecer Medjugorje.
E no trigésimo dia em que orei esta consagração, vim a Medjugorje.
E me consagrei na igreja, no momento da aparição.
Isso aconteceu durante a guerra, porque era 1993: e aconteceu durante a festa da juventude.
A vidente Marija estava falando na tenda verde, porque então havia duas tendas: Marija deu seu testemunho. Naquele momento ouvi uma voz me dizendo: “Venha, venha!”.
Tive a certeza naquele momento que ela era a Mãe de Deus, não sei como, não entendia de onde ela me chamava.
Então eu entendi que ele estava me chamando da cruz.
Então conheci o padre Slavko. Disse-lhe que gostaria de ser padre. E ele me bateu no peito. E logo depois que comecei a trabalhar como médica fui para a Comunidade das Bem-aventuranças, pensando que era para mim. Eu vivi junto com esta comunidade.
Foi uma sexta-feira. Estava a chover. O tempo estava terrivel. Fiquei pensando se deveria ir ou não para a Via Crucis, porque quando chove lá em cima fica muito escorregadio e não é fácil subir. Enfim, dentro de mim, me convenci e disse: “Vou lá para rezar esta Via Crucis”.
Naquela época eu não sabia, ou seja, nem pensava na minha vocação, pensava em me casar, em constituir família. Decidi fazer a Via Crucis.
O padre Slavko estava em algum lugar à minha frente com cerca de vinte pessoas da paróquia. Pensei: “Mas vejam: vocês estão pensando em ir ou não fazer a Via Crucis, e o Padre Slavko vai a uma dessas duas colinas quase todos os dias.”
E quando cheguei à décima terceira estação, as pessoas corriam em minha direção. Achava que as pessoas eram malucas porque era perigoso, escorregadio. Mas quando saí de uma pequena curva, vi que havia um padre que estava deitado em uma pedra.
Como sou médico, me aproximei dele, olhei e vi que seu coração doía e ele estava morrendo.
Tentamos reanimá-lo, mas não deu resultado. Então eu disse ao povo: “Rezem, rezem: o Padre Slavko está morrendo!”.
Naquele momento a chuva parou, parou de chover: isso aconteceu entre a décima terceira e décima quarta estações.
De lá você pode ver a igreja.
O sol iluminou a igreja e um pequeno arco-íris pôde ser visto; e as nuvens estavam em uma posição que o sol iluminava de cima.
Eu soube naquele momento que o Padre Slavko estava no céu.
Em seu capuz franciscano, vi uma romã que depois desapareceu.
Então pegamos o padre Slavko para derrubá-lo.
Foi muito difícil porque estava escorregadio. Naquela ocasião, rezei: «Padre Slavko, agora estás no céu: dá-me uma parte do teu espírito, faze-me parte do teu espírito».
Enquanto o carregávamos para baixo, como ele já estava morto, suas mãos foram para a esquerda e para a direita. Uma de suas mãos me tocou no ombro por trás, não exatamente no ombro, mas nas costas.
Eu me dei esta explicação [como se o Padre Slavko me dissesse]: “Fiz a minha Via Sacra, agora começa a sua”.
Aí eu desci, fui para a igreja, porque precisava de paz. Por mais de uma hora chorei, sem saber por quê.
Mais tarde entendi que o Padre Slavko me pediu a gr

Aí eu desci, fui para a igreja, porque precisava de paz. Por mais de uma hora chorei, sem saber por quê.
Mais tarde, compreendi que o Padre Slavko me pediu a graça de não olhar apenas para mim.
Naquele momento tomei a decisão: “Serei padre!”. Entrei para um convento na Áustria, tornei-me padre e agora sou padre.
Já sou padre há três anos e não há nada mais bonito no mundo do que ser padre.
O padre pode dar Deus: quem pode fazer isso? Quero agradecer a Nossa Senhora, quero agradecer ao Padre Slavko, mas acima de tudo ao nosso Pai Celestial.
Jesus ressuscitou: ressuscitou verdadeiramente!

PARA ADQUIRIR PRODUTOS DE MEDJUGORJE CLIQUE AQUI

SE QUISER VIAJAR CONOSCO ATÉ MEDJUGORJE MANDE WHATSAPP PARA (85)98843-5572

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *